As melhores (e piores) frases de 2007

Sabe como é, tem gente que manda bem e gente que é um poeta de boca fechada. Abaixo seguem algumas das frases que marcaram o ano. Antes que alguém diga que faltou o Galvão Bueno, vocês vão concordar comigo que ele teria um post só para ele… Bom, como diz o ditado: “Só abra a boca quando você puder melhorar o silêncio”.

“Relaxa e goza.”
Marta Suplicy, ministra do Turismo, ao ser questionada sobre que conselho daria ao turista que viajaria de avião, em pleno caos aéreo. A intenção, segundo a ministra, “foi dizer à população que viajar vale a pena mesmo com os problemas nos aeroportos”.

“A Lei de Murphy levou a atrasos e cancelamentos de vôos.”
Walfrido dos Mares Guia, ainda no ministério do Turismo, sobre o caos aéreo.

“É a prosperidade do país. Mais gente viajando, mais aviões, mais rotas. Mas podemos melhorar os problemas e agilizar essa questão”
Mais uma do caos aéreo. Guido Mantega, ministro da Fazenda, sobre a aparente prosperidade do País.

“Nunca na história desse país…”
Do presidente Luís Inácio Lula da Silva, em um dos seus inúmeros discursos. O jargão virou marca registrada.

“Faremos o possível e o impossível para que saibam falar bem a nossa língua. Queremos brasileiros MELHOR educados, e não liderados por gente que despreza a educação, a começar pela própria”
Do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em um discurso para membros do PSBD. Mesmo tendo pedido desculpas pelo erro (já que, pela norma culta, o correto seria “mais bem educados”) depois disse que não entendia porque não poderia dizer ‘melhor educado’ em vez de ‘mais bem educado’.

“Vagabundo!”
Do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, a um manifestante, durante a visita do prefeito a um hospital. Kassab disse que apenas cumpriu seu papel ao expulsar o manifestante.

“Bush, resolve o problema da crise, porque não vamos deixá-la atravessar o atlântico.”
Lula mandando um recado ao presidente americano sobre a crise imobiliária dos Estados Unidos.

“¿Por qué no te callas?”
Do Rei Juan Carlos da Espanha ao presidente venezuelano Hugo Chávez durante a cerimônia de encerramento da Cúpula Ibero-Americana, no Chile.

“Não temos mais que U$10 mil na bolsa.”
Bispa Sônia e o marido Estevam Hernandez, fundadores da Igreja Renascer, ao tentar entrar com US$ 56 mil nos EUA. O casal foi preso.

“É muito difícil para mim explicar o inexplicável”
Henry Sobel ao falar sobre o furto de gravatas em uma loja americana.

“Brigamos por uma vaga na Copa Sul-Americana.”
Nelsinho Baptista, quando assumiu o Corinthians, a onze rodadas do final do Campeonato Brasileiro. Acabou rebaixado.

“O time foi aguerrido, mas faltou o gol. Como eu. Fui aguerrido, tive raça e fiz zero ponto. Os dois foram rebaixados”
Rubens Barrichello, piloto da Honda, sobre o Corinthians, time pelo qual torce, em entrevista à rádio Jovem Pan

“Acho que, nem se aquele padre irlandês que segurou o Vanderlei na maratona de Atenas pulasse na piscina, conseguiria tirar o ouro de Thiago Pereira”
Cléber Machado, da Globo, narrando a chegada dos 400m medley masculino no Pan

“Ou ele, ou eu”
Fernando Alonso, para Ron Dennis, chefe da Mclaren, sobre sua permanência ou a de Hamilton na equipe da F-1

“A gente arregaçou o recorde Pan-americano”
Nadador Rodrigo Castro, após ajudar na conquista do ouro na prova 4×200 livre masculino.

“Eu sou inocente”
Alberto Dualib, ex-presidente do Corinthians em depoimento sobre lavagem de dinheiro

“Conseguimos essa vitória, estamos na Série A e o Corinthians se fudeu”
Amaral, zagueiro do Goiás, após a equipe se salvar do rebaixamento no Brasileirão

“Não existe melhor doping do que estar apaixonada”
Rebeca Gusmão, medalha de ouro nos 50m nado livre. Dias depois ela foi afastada das competições acusada de doping.

“Sou intrinsecamente pessimista sobre as possibilidades da África porque todas as nossas políticas são baseadas no fato de que a inteligência deles é a mesma que a nossa, quando todos os testes dizem que, na verdade, não é”.  James Watson, geneticista e prêmio Nobel de Medicina, a um jornal britânico. Dias depois ele se desculpou dizendo que havia sido mal interpretado.

“Di catigoria.”
Bebel, personagem interpretada por Camila Pitanga na novela Paraíso Tropical.

“Você é um fanfarrão”
“Bota na conta do Papa”
“Pede pra sair!”
Capitão Nascimento, personagem do filme Tropa de Elite. O longa metragem foi considerado um dos grandes sucessos brasileiros desse ano.

“Descobri que era um banana de pijama. Para mim, ele morreu, está sepultado.”
Luana Piovani, depois que Caetano Veloso desmentiu que teria feito uma música para a atriz. Mais tarde, Luana ganhou uma música de MC Serginho, chamada “O Caetano disse não”.

“Eu sou uma bicha! Eu sou um gay montado para sair.”
De Victoria Beckham, mulher do jogador David Beckham e spice girl, sobre artistas que estão virando designers de moda.

“Não bebo há 12 anos, não fumo há 20 e não uso drogas há 18. Todo mundo fazia e eu achava que era chique.”
Da apresentadora Glória Maria, à revista “Vogue RG”, sobre alguns de seus antigos hábitos.

Via iG.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someoneShare on Tumblr
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *