A Marvel e a sindrome do terceiro filme

Chegou aos cinemas na última semana o espetacular filme do Homem de Ferro. Eu adorei o filme, achei que tem ação e estória na medida certa, grandes atores e etc. Mas será que o invencível Homem de Ferro está fadado ao mesmo destino dos filmes de seus companheiros de editora? Sim, porque os filmes baseados em super heróis da Marvel parecem ter em sua terceira seqüência a sina da queda vertiginosa de qualidade.

Vejamos um exemplo mais antigo um pouco: Blade, o caçador de vampiros. O primeiro Blade não era nenhuma maravilha, mas até que era um filme divertido. Blade 2 melhorou muito, com a direção de Guillermo Del Toro. Mas o que foi Blade Trinity? O filme foi um fiasco, tanto de crítica como de público. Mas Blade é um personagem secundário no universo Marvel, e esse erro não seria cometido nas principais franquias, não é? Ledo engano.

As duas principais e mais lucrativas franquias Marvel tiveram o mesmo fim. X-Men começou espetacular, ficou mais espetacular ainda no segundo filme e quando parecia que o terceiro filme fosse fechar com chave de ouro, este foi uma bomba jogada em cima da cabeça dos fãs. Roteiro fraco, profusão de personagens secundários sem profundidade, personagens principais sem destaque. O terceiro filme tem mais ação e efeitos especiais, mas isso não foi suficiente para que o filme mantivesse a qualidade dos filmes anteriores.

Só que X-Men tinha a desculpa da troca de diretor. A saída de Brian Singer para fazer Superman foi um duro golpe na franquia. Mas o que dizer de Homem Aranha? Temos a mesma estória de X-Men: um primeiro filme muito bom, uma sequência espetacular e um terceiro filme fraco. Homem Aranha 3 parece pecar nos mesmos pontos de seu irmão mutante: personagens demais, roteiro fraco e personagens principais apagados. Peter Parker emo? E a cena da dancinha? O reaproveitamento do personagem do Duende Verde foi muito pobre. E a origem de Venom? Ele simplesmente caiu do céu… realmente parece que Sam Raimi, que foi tão genial nos dois primeiros filmes fez concessões demais para os produtores, que queriam simplesmente mais um personagem para vender brinquedos e bugingangas diversas.

Tomara que com a criação do Marvel Studios, responsável pelo filme do Homem de Ferro e do novo Hulk, os personagens passem a ser tratados com mais respeito, e os fãs sejam poupados de bombas como o primeiro Hulk e o Demolidor. Já existem notícias na internet falando de uma continuação para Homem de Ferro e filmes de Capitão América e Thor. E há ainda o projeto de um filme dos Vingadores (não saia antes do final no filme do Homem de Ferro, fique até depois dos créditos!). Enfim, aparentemente vamos ter uma nova safra de filmes bons da Marvel.

A DC deu uma patinada com Superman, mas o novo Batman e a sequência de Hellboy promete colocar a produtora nos trilhos de novo. E que venham por ai Lanterna Verde, Mulher Maravilha, Arqueiro Verde…

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someoneShare on Tumblr
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One Response to A Marvel e a sindrome do terceiro filme

  1. Kevin Trévor says:

    Cara você leu o futuro kkk esse artigo é futurista!!
    Iron Man 3: FRACO demais.
    E mesmo a DC decaiu: Lanterna Verde: Lixo.
    Batman DK Rises: Final indigno pra uma trilogia daquelas.
    Mas o futuro aguarda coisas épicas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *