O Robocop de Padilha começa a ser montado

Li uma notícia ontem no site Dark Horizons sobre a contratação de Joel Kinnaman para estrelar o remake de Robocop, que está sendo capitaneado pelo brasileiro José Padilha, de Tropa de Elite. O ator estrela a série “The Killing”, que vai ao ar no canal americano AMC (o mesmo de “The Walking Dead”). E o seu trabalho tem bons reviews na web, o que é interessante. Reviver o papel imortalizado por Peter Weller no filme de Paul Verhoeven pode ser a chance de ouro para Kinnaman cair nas graças das grandes produtoras de Hollywood.

Porém, é por José Padilha que eu estou torcendo. Sendo fã de Tropa de Elite não como não estar ansioso para ver a abordagem que o brasileiro dará ao policial de lata. Porém, a missão é inglória, pois o filme de Robocop (o 2 e o 3 não contam) é um filme subestimado pela maioria das pessoas. É como Rambo: você se lembra das cenas de ação, mas esquece de que existe uma história mais profunda por trás (no caso de Rambo, também o primeiro filme). Só por ter colocado Verhoeven no mapa, e permitido que ele fizesse posteriormente filmes como o Vingador do Futuro e Instinto Selvagem já se tem uma ideia de como Robocop foi importante.

Se você apenas arranhar a superfície do filme de 1987, você verá apenas uma “quase” ficção científica onde um homem transformado em máquina leva ao limite a justiça que ele jurou proteger. A violência exagerada serve até com uma espécie de sátira à fase que o gênero policial passava no período. Se por acaso você assistiu Robocop na Sessão da Tarde ou em alguma reprise da Record, você NÃO assistiu ao filme. Corra alugar uma versão em DVD ou Bluray para ter uma real noção do filme.  Robocop definitivamente não é um filme para TV aberta.

Deixando para trás esta superfície de sangue e balas, Robocop é um filme que possui teor político como crítica as grandes corporações, a exploração dos mais pobres em benefício dos mais ricos e até mesmo dos limites éticos do uso da tecnologia em conjunto com o ser humano. Inclusive acho que a escolha de José Padilha repousa mais nestes quesitos do que na ação que o filme deverá ter (e que ele dirigiu brilhantemente nos Tropas de Elite). Resta saber se ele terá liberdade criativa e apoio dos produtores para realizar um filme que seja tão interessante em conteúdo e visual como os dois sucessos de bilheteria brasileiros.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someoneShare on Tumblr
This entry was posted in Entretenimento and tagged , , , . Bookmark the permalink.

One Response to O Robocop de Padilha começa a ser montado

  1. Rodrigo says:

    Ver este trailer só me faz lembrar de que Robocop é um clássico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *