Joss Whedon fala sobre “Vingadores”!

“Maior que a vida, mas muito humano”

O site gringo GeekTyrant fez uma entrevista com Joss Whedon, diretor de “Avengers – Os Vingadores” (ainda não engoli esse titulo nacional). Segue a tradução da entrevista, onde o diretor falou sobre as pressões de fazer o filme, seu combo de heróis favoritos e muito mais!

Os Vingadores é focado no diretor da S.H.I.E.L.D. Nick Fury tentando unir heróis com extraordinários poderes e egos. Você se sentiu um pouco como Nick Fury, tentando trazer os atores para o conceito de time? Como você tratou as diferenças criativas nesta situação?

Eu me senti muito como Nick Fury. Ele é literalmente o diretor da S.H.I.E.L.D. e isto o distancia de todos, mesmo que ele goste deles. Ele sabe como mantê-los no caminho certo. Tenho esperança que consegui isto também.
Acho que nem cheguei a deixá-los desconfortáveis, mas eu não sou nem de longe inteligente e manipulador como Nick. Eu não tive tanto problemas porque meus atores queriam estar juntos. Eles adoraram um ao outro.
Mas você sente a responsabilidade de tirar o máximo de cada um deles. Para Fury é uma batalha, e para mim, quando estávamos filmando, a batalha era tirar o melhor e fazê-los interagir da melhor forma possível, e você tem uma grande responsabilidade de servi-los com sua câmera também.
Então eu definitivamente senti a pressão, mas eu posso ver com meu olho esquerdo.

Você tem alguma combinação de personagens que foi mais interessante de ver interagindo?

Eu amei o relacionamento entre Bruce Banner e Tony Stark.
Bruce Banner é o primeiro cara que cruza o caminho de Tony Stark que opera no mesmo nível intelectual que ele e não é um vilão.
Mas eu também adoro Tony e Steve (Capitão América) e o quanto eles não suportam um ao outro, e eu investi muito em Natasha e Gavião Arqueiro e sua grande amizade. Bem, eu amo todos eles.
Eu odeio essa pergunta (risos).

Qual conselho você daria para um estudante de cinema com ambições de um dia estar sentado na cadeira de diretor?

Eu diria para ele se sentar na cadeira. Você agora está na cadeira de diretor.
Nós vivemos em um tempo em que qualquer um pode fazer um filme. Se você tem um celular, você pode fazer um filme. OK, talvez não um enorme, mas você pode.
Quando eu comecei, você escrevia um roteiro e ficava esperando. Ou levantava algum dinheiro e fazia um curta-metragem.
As coisas são diferentes agora e o melhor jeito de mostrar o seu trabalho não é apenas oferecendo ele a alguém e rezando para ele fazê-lo,  mas mostrar você mesmo como diretor, fazendo seus próprios filmes.
Não há desculpa agora.

Se você fosse inserir você mesmo como herói em um filme, que super poder você teria?

Eu gostaria de ter o poder de invisibilidade, e dai eu não teria que trabalhar muito.

Muitos jovens terão um monte de opções de filmes de agora no verão (americano). Por que eles deveriam colocar The Avengers em primeiro lugar em suas listas?

Eu acho que este é o tipo de filme que eu cresci querendo fazer e eles pararam de fazer. Enquanto eu crescia, os filmes de verão era um conceito, e a minha vida toda eu queria assistir filmes como aqueles, algo como o primeiro “Indiana Jones”, algo que fosse centrado no personagem, amasse o gênero que estivesse retratando, tivesse inteligência e atuação real, uma história boa e não apenas uma boa premissa onde você já sabia tudo que ia acontecer.
É um pouco maior que a vida, mas muito humano.
Os filmes de verão vêm se tornando aos poucos um pouco mais cínicos. Existe grande expectativa, mas é tudo por causa da grande quantidade de dinheiro envolvida.
Não há interesse na história, querem apenas te soterrar com excitação de momento e nomes de marcas.
A Marvel não opera deste modo. Eles se preocupam com as pessoas. É por isso que eles contratam os melhores atores para interpretar seus heróis. Este é um filme a moda antiga.

Você pode conferir a entrevista original em inglês clicando aqui.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someoneShare on Tumblr
This entry was posted in Entretenimento, Filmes and tagged , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *